Antônio Campos

Antônio Campos

Território da Palavra

Perfil: Escritor, advogado, imortal da Academia Pernambucana de Letras e curador da Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto).

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Livros online x Escritores

Antônio Campossex, 25/11/2011 - 15:38

Enquanto os internautas comemoram a chegada dos e-books e das bibliotecas na rede virtual, os escritores temem o destino das suas obras. O caso mais recente é o da Amazon que, com o Kindle, passou a oferecer empréstimo de livros aos seus leitores. A preocupação dos escritores deve-se à possibilidade da Amazon passar a emprestar os livros sem a devida autorização das editoras ou, ainda, que façam acordos com os editores sem consultas aos autores.

Em um mundo visivelmente globalizado e interligado virtualmente é prioritário o respeito às obras e seus autores. A rede de varejo online é imprescindível para tornar a literatura mais acessível, mas, é necessário usá-la com respeito ao árduo trabalho exercido pelos escritores do mundo inteiro. 

Tags:

O ramo da autopublicação

Antônio Camposqua, 23/11/2011 - 14:18

Autores, independentes, de livros eletrônicos já possuem uma opção para aumentar a visibilidade das suas obras. O grupo Penguin, criou, há seis meses, o Book Country, comunidade destinada, gratuitamente, aos pretendentes à profissão de escritor de ficção.

A novidade é que, a partir de agora, a Book Country, que conta com mais de 4 mil membros, passa a oferecer serviço de autopublicação com preços acessíveis e tentadores. E a Penguin mostrou que sabe fazer negócio: cada vez que um dos seus novos autores assinar contrato com uma editora profissional, ela irá receber uma comissão. Eis o visível crescimento do ramo dos e-books e, claro, todo o mercado editorial não poderia ficar de fora. 


Mais de Hemingway

Antônio Camposter, 22/11/2011 - 17:15

Os fãs de Ernest Hemingway e amantes da boa literatura foram presenteados com uma ótima notícia. Aliás, três boas novas. Chegam às livrarias americanas três títulos inéditos sobre o escritor norte-americano, falecido em 1961.

“The Letters of Ernest Hemingway” é uma das obras lançadas e contém cartas trocadas entre 1907 e 1992. O segundo título é o “Hemingway – A Life in Pictures” e, como o próprio nome insinua, reúne fotografias do escritor. Por fim, “Hemingway’s Boat”, que fala sobre os hobbies, como caçar e pescar, do velho e bom Hemingway. Leituras imperdíveis para quem tem curiosidade sobre a vida e obra do autor de “Por quem os sinos dobram” e “O Velho e o Mar”. 

Tags:

J. Borges na Índia

Antônio Camposseg, 21/11/2011 - 18:30

Unanimidade em cordel e xilogravura, o artista nordestino J. Borges ficou ainda mais conhecido internacionalmente após ilustrar o livro de Eduardo Galeano, chamado “Palavras Andantes”. A Tara Books, por exemplo, procurou o artista após ter visto as ilustrações na obra do uruguaio. Partiu desse grupo o convite para Borges adaptar uma lenda sobre livros envolvendo deuses indianos.

Agora, as matrizes da obra, em madeira, viajam pelo mundo. Estiveram na Alemanha e seguiram, a pedido dos indianos, para a Índia, onde serão impressos em papel artesanal. São 12 gravuras, compondo uma obra intitulada “O Rei Que Gostava de Ouvir Histórias”, que, certamente, representa uma das artes pernambucanas da melhor maneira possível.


Balada Literária 2011

Antônio Campossex, 18/11/2011 - 16:08

Na última quarta-feira (16) começou a sexta edição da Balada Literária, evento que acontece na cidade de São Paulo e mescla música e literatura. Dessa vez, o homenageado é o poeta concretista Augusto de Campos que, este ano, completa 80 anos. A curadoria e criação do evento são assinadas pelo escritor Marcelino Freire.

Na programação, as ilustres presenças de nomes como Tom Zé, Caetano Veloso, Jorge Mautner, Claudiney Ferreira e Edwin Williamson, professor e escritor inglês que também participou da VII Fliporto. O próprio Augusto de Campos participa da Balada, além do seu filho, Cid Campos, que apresentará o show “Crianças, Crionças”. A entrada é franca e, certamente, uma excelente oportunidade de participar de mesas literárias e exposições imperdíveis.

 

 

Tags:

A nova mulher árabe na Fliporto

Antônio Camposqui, 17/11/2011 - 15:33

“Eu não aceiro que até hoje existam mulheres que negociem direitos. Devemos defender e exigir, ao invés de pedir”. Com essas palavras, Joumana Haddad, escritora libanesa, mostrou ao público da VII Fliporto a postura da nova mulher do mundo árabe. Em conversa com o jornalista Silio Boccanera, Joumana leu, em português, trecho do seu novo livro, intitulado “Eu Matei Sherazade – Confissões de uma árabe enfurecida”.

O pós-feminismo árabe foi a temática do bate-papo. Joumana mostrou-se muito além dos preconceitos e estereótipos árabes, dizendo: “Há uma mulher árabe insubmissa em mim”. A mesa, uma das mais concorridas da Festa Literária, arrancou aplausos da plateia.  Este ano, a Fliporto reuniu mais de 80 mil pessoas, durante os 5 dias de evento, na Praça do Carmo, e se consagrou como o maior evento literário do Brasil. 


Falar muito em tão pouco

Antônio Camposqui, 10/11/2011 - 06:39

O que são crônicas? “É difícil dizer o que é a crônica. Ela aceita quase tudo”, responde o autor Luis Fernando Veríssimo, grande mestre da narrativa curta. “Em algum lugar do paraíso” (Objetiva) é o seu mais novo livro, onde o escritor reúne 41 textos abrigando uma variedade de temas, característica nata dele, sem, todavia, deixar de lado a unidade literária da obra.

Dentro da seleção de crônicas, “Em algum lugar do paraíso”, mesmo título do volume, medita poeticamente sobre o tempo e, ao final, uma piada sobre Adão e Eva dá mais conteúdo ao texto, pincelando questões como sexualidade e mortalidade. Muitas das outras 40 também adquirem marcas de Veríssimo, como as crônicas em formas de diálogos, os aforismos irônicos e os flertes com o nonsense. Narrativas curtas que, com apenas poucos parágrafos, faz o leitor perpassar por um leque de assuntos presentes em suas magníficas percepções da literatura.        


O novo manual de Danuza

Antônio Camposqua, 09/11/2011 - 10:13

Uma mulher à frente do seu tempo. Em seu oitavo livro, “É tudo tão simples” (Agir), Danuza Leão faz uma espécie de atualização da sua obra anterior “Na sala com Danuza”, escrita há quase 20 anos. Um manual da boa educação contemporânea, voltado para mulheres e homens, em que ela oferece dicas palavras-chave para os interessados em usá-las nos tempos atuais, em que as celebridades e as redes sociais dominam.

Lançado no último dia 7, a obra conta com quase 200 páginas de humor, pitadas de ironia e ideias. Um livro singular e, certamente, sem meias verdades.

Tags:

Um presente de Saramago

Antônio Camposseg, 07/11/2011 - 17:14

O seu primeiro romance, “Terra do Pecado”, publicado em 1947, teve pouca acolhida de crítica e de público. Já o segundo, “Claraboia”, escrito em 1953, foi ignorado pela Empresa Nacional de Publicidade, editora que nunca mandou resposta ao autor e nunca lhe devolveu o original. Depois disso, o brilhante escritor português José Saramago abandonou o gênero romanesco por 24 anos, sem nos presentear com suas obras magníficas.

Nos anos 90, porém, a editora ofertou a publicação, que foi negada por Saramago, alegando não querer que a obra “saísse enquanto ele estivesse vivo”. Agora, quase 60 anos depois, o livro será publicado. Uma verdadeira homenagem póstuma ao escritor.  “Claraboia” é um romance sobre o tratamento cruzado dos pequenos acontecimentos nas vidas das famílias de um prédio e promete fazer muito sucesso entre os seus leitores. Quem imaginaria que o único português premiado com o Nobel de Literatura, incrível por escritos com características peculiares, iniciaria com tantas dificuldades?


Recife na onda cinematográfica

Antônio Campossex, 04/11/2011 - 21:08

A capital pernambucana vai inalar cinema no centro da cidade a partir de hoje até o dia 13. Filmes, cujos diretores foram consagrados na área cinematográfica mundial, estarão presentes no IV Janela de Cinema Internacional, além, claro, das produções nacionais. Na abertura do evento, a primeira sessão a ser exibida é Febre do rato às 20h30.

Entre curtas e longas, inéditas ou não, totalizam-se 160 filmes, nos cinemas São Luiz e da Fundação. Trazendo debates, oficinas e aulas, os cerca de 60 convidados pretendem criar um ambiente recheado de conhecimento com o intuito de compartilhar ideias e disseminar novas perspectivas a partir de criações antigas, como a Retrospectiva Kubrick. Um dos maiores diretores de filmes de terror de todos os tempos, Stanley Kubrick terá 12 longas restaurados, e os debates sobre seus audiovisuais prometem trazer à tona outras dimensões talvez nunca antes pensadas.