Aldo Vilela

Aldo Vilela

Jornalista

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Um bom momento para refletir em uma análise abalizada de Angelo Castelo Branco

Aldo Vilelater, 04/09/2018 - 14:32

Será que aprendemos a lição?

Se um gestor moderno ganhar a eleição presidencial o primitivismo dificilmente voltará ao poder no Brasil.  Esse é, ao que parece, o grande temor dos populistas que tentam desconstruir as eventuais novidades no campo eleitoral.Quando o brasileiro verificar na prática as vantagens de uma gestão não ideológica que priorize a qualidade de vida coletiva, educação, saúde, segurança, delete indicações políticas para cargos executivos e faça com que a máquina elimine desperdícios, roubalheiras e se torne tão produtiva quanto uma empresa privada, tchau primitivismo. A eficiência contagia e cria novas referências e novas exigências nas sociedades. O anacrônico vai pro arquivo morto. A competência e o pragmatismo construtivo são produtos de um arranjo político inteligente e moderno, algo que os últimos governos nunca souberam praticar. Pelo contrário, abraçaram o modelo populista retrô dos anos 50 que não serve mais sequer a Cuba. Os venezuelanos que o digam. O PT cometeu um grande erro. Transformou o governo numa extensão do partido. Esqueceu que a metade do Brasil, que paga impostos, não concorda com isso. A população cansou de sustentar inúteis e arrogantes de  estrela na lapela e cérebro robotizado a serviço de chefes refastelados em mordomias. Dinheiro publico vem de todas as correntes ideológicas e não pode ser apropriado para sustentar compadres ou companheiros. Tem que ser aplicado em serviços e obras para todos. Governo tem que ser estruturado com pessoas capacitadas e competentes. Com especialistas que entendam profundamente de cada área a ser administrada. Nomearam um ministro da Pesca que confessou não saber distinguir uma isca de um anzol. Esse episódio tornou-se emblemático de tudo o que aconteceu no aparelhamento petista do sistema administrativo brasileiro. Deu no que deu. Uma bomba de efeito retardado que explodiu a economia e produziu 14 milhões de desempregos.

Por Angelo castelo Branco

Luciano Duque abre dissidência no PT 

Tendo à frente o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), lideranças políticas ligadas à vereadora do Recife Marília Arraes (PT) declararam apoio à candidatura do senador Armando Monteiro (PTB) ao governo do Estado pela coligação Pernambuco Vai Mudar. Um objetivo ficou mais que claro, como na fala do prefeito sertanejo: “Sou Lula, voto em Armando!”.

E agora ?

O auditório de um hotel na Zona Sul do Recife ficou lotado de prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, ex-vereadores e simpatizantes do grupo de Duque, todos com o propósito de se conectar com o desejo de mudança dos pernambucanos.  “Primeiramente, fora Paulo. Votamos em Armando em 2014 e repetiremos o voto em 2018. Aprendi a boa política, acima dos acordos feitos pelas cúpulas partidárias. Armando desceu a rampa do Palácio do Planalto com a presidente Dilma. Os mesmos que chamaram  o nosso presidente Lula de chefe de quadrilha e que clamaram pela sua prisão agora gritam ‘Lula livre’”, destacou Duque.  “Votamos em quem esteve sempre ao lado de Lula e Dilma e foi contrário ao impeachment.  Não estou mudando a história. O PSB é que quer essa cortina de fumaça para fugir das discussões sobre os problemas de Pernambuco”, enfatizou o prefeito.

Todos querem

Emocionado, Armando agradeceu ao gesto de Duque e das lideranças e se comprometeu a não decepcionar os pernambucanos caso seja eleito. “Se eu já confiava muito na nossa vitória, hoje eu tenho certeza de que Pernambuco vai mudar. As eleições não podem ser um concurso de espertezas, que sejam definidas por um jogo rasteiro e oportunista. O Pernambuco que se inspira em movimentos libertários e redentores vai estar sintonizado com este palanque, por uma causa: para dizer que Pernambuco não tem dono”, disse Armando. “Luciano esteve ao lado de Marília quando ela era apenas uma promessa. Isso demonstra que a política não pode ser um jogo sujo, dos cínicos e dos oportunistas”, acrescentou.

Outros prefeitos

Junto com Duque, estiveram presentes os prefeitos de Calumbi, Sandra da Farmácia (PT), de Tabira, Sebastião Dias (PTB), de Tuparetama, Sávio Torres (PTB),  de Santa Cruz da Baixa Verde, Tássio Bezerra (PTB), de São João, Genaldi Zumba (PSD), e de Betânia, Mario da Caixa (PTB), além do de Igarassu, Mário Ricardo (PTB), coordenador de campanha de Armando e ex-prefeitos de oito cidades. Também foram contabilizados 36 vereadores de 13 municípios de todas as regiões de Pernambuco: Pesqueira, São José do Egito, Garanhuns, Condado, Jupi,  Cortês, Bom Conselho, Saloá, Serra Talhada, Sirinhaém, Barreiros, Timbaúba e Flores. 

Rede municipal do Recife comemora maior crescimento percentual referente às escolas de Anos Finais entre capitais no IDEB 2017

O Ensino Fundamental das escolas municipais do Recife cresceu acima da média das capitais brasileiras e, nos Anos Finais, foi o maior crescimento percentual entre as capitais do país. Essas foram algumas das constatações após a publicação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2017. A rede, formada por 309 unidades de ensino e pouco mais de 90 mil estudantes superou a meta estabelecida pelo Governo Federal para Anos Iniciais (era 4,9 e alcançou 5,0) e, nos Anos Finais, apresentou o maior crescimento percentual entre as capitais do país, saltando de 3,5 para 4,1, um incremento de 17% em relação à avaliação precedente, de 2015.

Desempenho

O desempenho das escolas de Anos Iniciais superou a meta estabelecida e apresenta crescimento constante desde 2013. Para o secretário Alexandre Rebêlo, alguns projetos como o Programa de Letramento do Recife (PROLER) e o estímulo à leitura são considerados significativos para o desempenho global. “Temos dado ênfase ao desenvolvimento do ciclo de alfabetização, com um processo minucioso de diagnose e aplicação de conteúdos individuais que tem sido decisivo para que este estudante possa se apropriar do processo de leitura e, por conseguinte, da aprendizagem de novos conteúdos no futuro”, enfatiza.

Detalhamento

Nos Anos Finais, Recife foi o município que apresentou maior evolução percentual entre as capitais no país, com um crescimento de 17% (saltou de 3,5 para 4,1).  A aposta no protagonismo dos estudantes dessa modalidade de ensino tem dado resultados animadores. “O estímulo a atividades como a Feira de Conhecimentos, os Clubes de Robótica, Rádio e Cinema e as Olimpíadas de Jogos Eletrônicos tem possibilitado o desenvolvimento do raciocínio lógico e o incentivo à produção científica, que já levaram mais de 150 de nossos estudantes a apresentarem projetos e disputarem campeonatos fora do nosso Estado e no exterior”, pontua o secretário.

Mais um destaque

Outro destaque é o Projeto Ondatec que incentiva estudantes a disputar vagas para as Escolas Técnicas Estaduais e Federais, a partir de aulas aos sábados e simulados em plataformas digitais que viabilizou uma aprovação recorde no último ano de 2017.  Merece destaque ainda a ampliação do ensino em regime integral, que abrange já 25% dos estudantes da rede de anos finais e cujas escolas apresentaram os melhores resultados nesta última avaliação do Ideb: das quatro melhores escolas com desempenho de Anos Finais, que obtiveram uma média de 4,9 pontos (13% acima da meta estabelecida), três delas são de modelo de Educação em Tempo Integral. Pedro Augusto (Boa Vista), Nadir Colaço (Macaxeira) e Dom Bosco (Jardim São Paulo). Atualmente, a rede oferta 36 escolas de Anos Finais e sete delas ofereciam este modelo de ensino em 2017.

Mais uma escola

A outra escola de a empatar em primeiro lugar nos Anos Finais foi a São Cristóvão, que fica na Guabiraba e é precursora, ao lado da Florestan Fernandes (Ibura), a implantar um modelo de aulas aos sábados de português e matemática para estimular os estudantes a disputar vagas em vestibulares técnicos, que mais tarde se transformaria no #Ondatec. Aliás, é também ao #Ondatec que se credita o salto exponencial do desempenho dos estudantes de Anos Finais, uma vez que, desde maio de 2017, os estudantes de nono ano têm à sua disposição aulões de português e matemática em seis polos divididos por toda a cidade. Ao final da primeira edição, a Prefeitura registrou um total de 312 aprovações em seleções para cursos, número que representa um aumento de 202% em relação ao ano precedente, quando a rede registrou 103 alunos bem sucedidos nos exames.

Ideb em detalhes

 

ANOS INICIAIS

IDEB

2009

2011

2013

2015

2017

4,1

4,1

4,2

4,6

5,0

 

ANOS FINAIS

IDEB

2009

2011

2013

2015

2017

2,7

2,9

3,2

3,5

4,1


COMENTÁRIOS dos leitores